«Somos chamados ao trabalho desde a nossa criação. Ajudar "pessoas em situação de pobreza" com dinheiro deve ser sempre um remédio provisório. O verdadeiro objectivo deveria ser sempre consentir-lhes uma vida digna através do trabalho» Laudato Si: página 88.

quarta-feira, 7 de março de 2018

"Divórcio Judeu os Pais e Filhos de hoje"

No mês passado encontrei uma estória em que o Papa Francisco visita um doente num hospital e dei-lhe o nome de: «dialogo-de-jesus-com-o-leproso». A estoria contada surgiu numa publicação diária desta feita, teve haver com o Evangelho de Domingo dia 11 de fevereiro: Evangelho de São Marcos (Mc 1, 40-45). 
Agora conto-vos esta estória pelo seu conteúdo será identica à anterior mas desta vez, tem mais haver com um Judeu que decide alarmar os filhos provocando em todos eles a necessidade de irem a correr visitar os pais.  
Uma estória, não sei se é verídica mas mostra como bom exemplo nos dias de hoje nas famílias emigrantes. Mas não é preciso recorrermos aos emigrantesinfelizmente temos por cá, em Portugal, filhos que vivem quase em paredes meias ou de meia dúzia de kns entre os filhos e os pais não vão visitar. 
O mais difícil de entender é filhos que tem um pai ou uma mãe numa cama por doença ou por idade avançada e não vão visita-los.
Para nos vicentinos devemos ter alguma atenção e devemos reflectir estes casos. Muitas vezes não será facil de intervir (corre-se o risco de intervir nas decisões de escolhas dos filhos) mas com a calma necessária e temente a Deus, sendo possível deixar uma mensagem a algum deles «que uma mãe teve nove meses para gerir um filho, teve estas anos todos paciência para os acolher, atura-los e ouvir e, os filhos não tem um dia por semana para visitar um pai ou uma mãe.» 

Divórcio judeu!
                                   
Uma delícia!
Na antevéspera do Ano Novo Judaico, Boris Sylberstein, patriarca judeu e a mulher, Sara, moradores num Kibutz perto de Telavive, visitam um dos seus filhos na capital de Israel:
Diz o pai: - Jacobzinho, odeio ter que te estragar o dia, mas o Pai precisa de te dizer que a Mãe e eu nos vamos separar, depois destes 45 anos!
Filho: - O Pai enlouqueceu! O que é que está a dizer? ─ grita Jacob.
─ Já não conseguimos sequer olhar um para o outro. Vamos separar-nos e acabou-se! Liga à tua irmã Raquel a contar.
Apavorado, o rapaz liga para a irmã, que vive em Viena e conta-lhe a terrível notícia.
Raquel fica em estado de choque, ao telefone:
─ Os nossos pais não podem separar-se de maneira nenhuma! Chama já o Pai ao telefone!
O ancião atende e a filha balbucia na maior emoção:
─ Não façam nada até nós chegarmos aí amanhã, ouviu? Vou telefonar também ao Moisés para São Paulo, ao Salomão para Buenos Aires e à Ester para Nova Iorque e amanhã à noite estaremos aí todos. Ouviu bem Pai?
Desliga, sem esperar pela resposta do Pai. O velho pousa o auscultador no descanso, vira-se para a mulher e, sem que Jacob ouça, diz-lhe em voz baixa
─ Pronto, Sara, vêm todos para a Ano Novo. Só que, desta vez, não temos de pagar as passagens…!


Sem comentários:

Enviar um comentário