«Somos chamados ao trabalho desde a nossa criação. Ajudar "pessoas em situação de pobreza" em dinheiro, deve ser sempre um remédio provisório. O verdadeiro objectivo deveria ser sempre consentir-lhes uma vida digna através do trabalho» Laudato Si: página 88.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

"O Sermão da Montanha"

Educar hoje é muito difícil!.. 
As crianças têm acesso aos tables, yutube, internet, jogos num smartphone e tudo mais que permite acesso à novas tecnologias. É certo que hoje é a formas de ensino nas escolas e não vejo forma de remover estas metodologias que são seguidas em casa e, no ensino.
No entanto vou constatando aqui e ali, demasiada importância dada aos meus de comunicação social ao ensino e no meio família; alterações nas relações humanas de pais para filhos e vice versa, ao jantar estão a comer com telemóveis na mão ou ver a Tv, já pouco falam com os filhos e já começamos a ouvir também acolá, os filhos a serem ensinados a encarar uma separação dos seus pais, ensinam a ver a vida dos seus pais de uma forma diferente:
- Pai ou mãe, deixa-lá vais ser feliz, depois encontras outra pessoa e já não discutes mais em casa. (Parece que estamos a ver um filme!...) 
É assim que vemos de perto e de longe todas estas alterações. Para melhor perceber este estado de vida na educação das crianças basta pegar este texto do Sermão da Montanha e transportá-la para as nossas crianças na forma de educação, se calhar poderá ser o que se passa dentro das nossas casas e talvez sirva um exemplo como o autor deste texto (desconhecido) transmite uma certa educação nas nossas escolas e nas nossas famílias. Já para não falar da educação cristã; deixemos para outra altura mais apropriada...
  
O Sermão da Montanha (versão adaptada para Educadores)

Naquele tempo, Jesus subiu a um monte, seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem.

Jesus, preparava-os para serem os educadores capazes de transmitir a Boa Nova ao povo.
Tomando a palavra, disse-lhes:
   - Em verdade, em verdade vos digo:
   - Felizes os pobres de espirito, porque deles é o reino dos céus.
   - Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
   - Felizes os misericordiosos, porque eles ...?
Pedro interrompeu-o:
   - Mestre, vamos ter que saber isso de cor?
André perguntou:
   - É para copiar?
Filipe lamentou-se:
   - Esqueci o meu lápis!
Bartolomeu quis saber:
   - Vai sair no teste?
João levantou a mão:
  - Posso ir à casa de banho?Judas Iscariotes resmungou:
  - O que é que a gente vai ganhar com isso?
Judas Tadeu defendeu-se:
  - Foi o outro Judas que perguntou!
Tomé questiona:
  - Tem uma formula para provar que isso está certo?
Tiago Maior indagou:
  - Vai contar para a nota?
Tiago Menor reclamou:
  - Não ouvi nada, com esse grandalhão à minha frente!
Simão Zelote gritou, nervoso:
  - Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto?
Mateus queixou-se:
  - Eu não percebi nada! Ninguém percebeu nada|

Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
  - Isso que o senhor está a fazer é uma aula?
  - Onde está a sua planificação e a avaliação diagnostica?
  - Quais são os objectivos gerais e específicos?
  - Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?
Caifás emendou:
  - Fez uma planificação que temas transversais e as actividades integradoras com outras disciplinas?
  - E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais?
  - Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?
Pilatos, sentado lá no fundo, disse a Jesus:
  - Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, no final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade.
  - Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projecto.
  - E veja lá se não vai reprovar alguém!
E foi neste momento que Jesus disse:

"Senhor, por que Me abandonaste?. . ."





Sem comentários:

Enviar um comentário