"Eu gostaria de abraçar o mundo inteiro em uma rede de caridade"
António Frederico Ozanam

domingo, 23 de outubro de 2016

CARTAS DE OZANAM - 24-06-1819 e 17-01-1820

"Informação prévia do" 
«Conselho de Zona Gaia Norte»

Estou a ter oportunidade de poder ler as Cartas de Ozanam, pela informação serão 90 documentos dos 1335 cartas do espólio deixadas escritas mas só darei a conhecer pelo autor do livro 30 documentos.. Pela informação obtida as cartas de Ozanam, foram publicadas nos Boletins da S.S.V.P. em meados de Abril 1989 pelo então o Conselho Central masculino do Porto.
O tempo passa, 27 anos percorridos, como eu as cartas serão desconhecidas da maior parte dos vicentinos pelo menos os mais novos, entendemos voltar a publica-las, com um intervalo de máximo 8 dias, percorrendo num total de 24 semanas, esperando que os caros visitantes e vicentinos passem a ser uns fieis leitores.
Sumário das Cartas: Tem as datas seguidas, a primeira; a seu pai em Lião, 24 de Junho de 1819 e Lião, 17 de Janeiro de 1820. 
Hoje só publicarei duas cartas, curtas dado ao extenso das explicações prévias, depois serão publicadas as cartas sem comentários.
Cabe aqui realçar autor da obra escrita: -  Diogo Castelbranco de Paiva Brandão, Lisboa 1996, tendo em conta o interesse e a actualidade dos assuntos versados que determinou as escolhas das leituras:
a) delineamento do perfil psicológico do autor e traços dominantes de personalidade;
b) conhecimento de factos, acontecimentos da vida pessoal e familiar;
c) esclarecimento de factos, acontecimentos e personagens ligadas à criação da Conferência da Caridade e à fundação da Sociedade São Vicente de Paulo.
d) registo das impressões deixadas em Ozanam pelos factos e acontecimentos anteriores referidos, personalidades e ainda pelos sucessos da vida social, política, universitária, religiosa, etc., que foi testemunha ou em que participou.

António Frederico Ozanam
Retrato de juventude


«CARTAS DE OZANAM»


Lião, 24 de Junho de 1819

   Querido Papá

   Uma vez que o Frederico começa a rabiscar, ele quer usar as propícias da sua caneta para festejar o seu paizinho, por ocasião do São João; no ano passado o vento levou a saudação que te dirigi, mas desta vez este papel metido na tua pasta não há-de voar e dir-te-á para sempre que o teu Frederico ama-te de todo o seu coração.

FREDERICO OZANAM



Lião, 17 de Janeiro de 1820

   Querido Papá

   Desejaria que o dia de Santo António fosse um dia de prazer, visto ser a tua festa, não sei como fazer para bem a celebrar, apenas posso dar-te muitos beijos e repetir milhares de vezes: desejo-te uma boa festa; rezarei a Santo António, que de algum modo é um dos meus amigos, visto que é meu patrono, para que peça a Deus que te conserve uma longa vida, uma boa saúde e sou com respeito o teu respeitoso filho.

FREDERICO OZANAM











1 comentário:

  1. Ao iniciar a leitura das cartas ainda não deu para absorver a qualidade da escrita que Frederico teve nos seus escritos.Tenho a indicacao que Frederico realmente era homem inteligente, sabia o que queria, sabia pensar não só coma cabeça mas sobretudo com o coração realmente de um bom beato que espero seja considerado um santo. Todos somos convidados a ser santos, por essa razão, talvez, as leituras destas cartas possa despertar o vossa vocação à santidade. Só Deus sabe, ninguém sabe o o que Deua pensa ou quer de nos.
    Pelo menos há uma coisa que podem começar a fazer: vivam a vida com alegria, sorriem quando uma chatice vos apoquentar. Deixai o resto, Deus vos dirá a formula mágica.

    ResponderEliminar