"Eu gostaria de abraçar o mundo inteiro em uma rede de caridade"
António Frederico Ozanam

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Características de Espiritualidade Vicentina

Não será por demais, na quantidade de vezes se fale da espiritualidade que um vicentino pois qualquer vicentino tem essa necessidade na perfeição dos métodos e orientação nas medidas a ser tomadas, junto dos nossos necessitados.
Quantas vezes ficamos desorientamos em não saber como resolver uma situação mais delicada que um nosso irmão nos apresenta. 
Então fica aqui algumas forma que possam ajudar os vicentinos nas suas paróquias. Espero que ajude. 

Confiança e firmeza sobre a Divina Providência
St. Vincent tinha uma profunda fé e confiança no cuidado providencial de Deus para ele e para todas as pessoas, especialmente os pobres.

Contemplativos na acção
São Vicente e Santa Louise estabeleceu uma nova forma de vida religiosa uma mistura enclausura, eficaz do divino e do humano, o sobrenatural e o prático, a contemplativa e a activa. Através de seu encontro com o Cristo de mansidão e compaixão em oração, vicentinos estão preparados para sair e assistir o mesmo Cristo nos pobres. Como Vincent disse: "Dê-me as pessoas de oração e eles serão capazes de qualquer coisa."

A "opção preferencial pelos pobres"
A caridade cristã somos chamados a praticar não está no que se vai dando aos pobres o, nosso tempo livre que a esquerda não veja, o nosso dinheiro extra, as nossas roupas velhas, etc. Caridade para nós deve significar dar o nosso melhor e às vezes o nosso tudo. Nossa vida deve reflectir a vida de Jesus Cristo, que nos chamou a esta grande vocação de amor. Nosso respeito pela dignidade das pessoas pobres devem levar-nos a tratá-los como hóspedes na nossa mesa de família e não como mendigos na nossa porta, esperando pelas migalhas.

Os pobres são nossos mestres

Acreditamos que os pobres têm alguma reivindicação sobre o nosso tempo. Muito parecido com um subordinado seria respeitoso para alguém de autoridade superior, mostramos um profundo respeito, mesmo devoção, para aqueles que são pobres. Nosso discurso é simples. Negamos a nós mesmos das coisas e dos prazeres, a fim de que possamos ser solidários com uma pessoa pobre; de modo que eles não vão se sentir constrangido com a nossa presença. Vamos a eles; não eles vindo para nos sempre. Continuamos acessíveis e são gentilmente eliminadas quando cumprimentá-los. Nós mostrarmos paciência, quando as pessoas podem ser exigente ou até com raiva. Nós ouvimos atentamente, e considerar em primeiro lugar as suas necessidades. Eles devem ter uma palavra a dizer na forma como eles podem redireccionar suas vidas.


Apostólica Reflexão
Tendo encontrado uma pessoa pobre, ou na sequência de uma experiência de serviço aos pobres, nós reflectir juntos sobre essa experiência e suas implicações através da oração e estudo da Bíblia. Desta forma, começamos a aprender a lidar com a nossa própria pobreza interior. Espiritualidade vicentina sustenta que esta contemplação fornece uma chave experimental que pode ajudar a desbloquear o verdadeiro significado das Escrituras. Este processo de transformação nos prepara para voltar ao renovado serviço de nossos Lordes, os pobres.

Presença Secular
Desde o início, o papel dos leigos foi essencial para a nossa missão. Os leigos revelaram as necessidades dos pobres para Vincent, tanto Folleville e Chatillon-les-Dombes. Pode-se dizer que os leigos levaram Vincent aos pobres. Hoje, a Família Vicentina ainda compartilha um carácter secular. O carisma vem de uma associação com os leigos (SSVP, AMM, JMV, AIC, MISEVI).
Fonte:  McNeill

Sem comentários:

Enviar um comentário