"Eu gostaria de abraçar o mundo inteiro em uma rede de caridade"
António Frederico Ozanam

domingo, 14 de abril de 2013

Sociedade São Vicente de Paulo


O que é a Sociedade de São Vicente de Paulo?


Fundada em Paris por um grupo de jovens laicos em 1833, a Sociedade de São Vicente de Paulo, também conhecida como Conferências de São Vicente de Paulo, é uma organização católica, laica e de voluntários, de mulheres e homens, dedicada à ajuda pessoal aos que têm qualquer tipo de carências. A base do nosso trabalho é a interacção directa, cara a cara com as pessoas necessitadas, independentemente da sua origem ou crença. Visitamo-los no próprio local onde se encontrem, ou seja, na sua casa, num lar, num hospital, na rua, na cadeia ou donde seja, oferecendo a nossa amizade como base de todas as outras ajudas.

 As Conferências da Sociedade de São Vicente de Paulo, células base da Instituição, reúnem-se normalmente todas as semanas para tratar dos assuntos de ajuda aos pobres que lhes competem, de acordo com a sua zona de influência que é, habitualmente, o território de uma Paróquia. Vivem comunitariamente, em cada Conferência, uma vida espiritual rica.

 Existem, aproximadamente, 51.000 Conferências no mundo e mais de 700.000 membros. Aos membros, como ajuda para as obras abertas a distintas pobrezas (crianças, idosos, doentes, colégios, centros hospitalares, etc.) unem-se mais de 1.5000.000 voluntários cooperadores em todo o mundo, pois as Conferências estão estabelecidas em 142 países.



O que é o Conselho Geral da Sociedade de São Vicente de Paulo?

O Conselho Geral das Conferências de São Vicente é o representante máximo das mesmas a nível internacional. A sua sede central encontra-se em Paris, desde a sua fundação, em 1833. O seu trabalho consiste, fundamentalmente, em apoiar a vida das Conferências no mundo às quais, por exemplo, faz chegar, de acordo com os seus recursos, importantes ajudas para as obras que tutelam nos diferentes lugares do mundo, de acordo com o grau da necessidade. Serve de ligação entre os países mais pobres e os mais ricos nos quais se encontra representada, para apoiar a transferência de tecnologia, de ajudas económico-financeiras, etc. e certifica-se de que os fundos são utilizados de acordo com os programas autorizados de ajuda aos pobres. Dirige a administração central da Sociedade e é quem outorga a capacidade dos grupos que vão surgindo no mundo, para poderem ser considerados Conferências. Todos os seus componentes são voluntários e apenas mantém, no seu escritório central em Paris, um pequeno grupo (dez pessoas) de assalariados que asseguram a continuidade do serviço.

Sem comentários:

Enviar um comentário